sábado, 30 de março de 2013

OLHA À CHUVA AÍ !


Equipes de resgate tiveram muito trabalho durante os atendimentos na Região Serrana
   Além do abandono a que tem relegado as vítimas das últimas tragédias da Região Serrana, o Governo do Estado do Rio de Janeiro terá que se explicar ao Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) por suspeitas de irregularidades em contratos da Secretaria Estadual de Obras para realização de obras contras as enchentes.
  Entre os problemas, a realização de sucessivas dispensas emergenciais para a execução dos projetos muitas delas inexequíveis no prazo de 180 dias, máximo previsto em lei, bem como atrasos nas obras de contenção de encostas e constantes reformulações de contratos e projetos. Os conselheiros querem ainda que o governo estadual explique se as obras que tiveram dispensa de licitação já foram concluídas, bem como que esclareça outras suspeitas encontradas na análise.
  Um dos problemas que geraram questionamentos ao Governo do Estado foi a utilização indevida de um pregão para a compra de 694 unidades habitacionais modulares em Teresópolis, Sumidouro, Bom Jardim e São José do Vale do Rio Preto, no valor de R$ 39,5 milhões. Segundo o TCE, o procedimento fere a legislação que trata dessa modalidade de compra.
  O relatório cita uma notícia publicada no Diário Oficial em 2012, dizendo que 550 casas seriam entregues até o fim daquele ano. Em 30 de setembro do ano passado, porém, segundo o TCE, somente metade das despesas das obras de infraestrutura necessárias para o conjunto habitacional havia sido liquidada.
  A inércia e a omissão das autoridades no socorro às vítimas, bem como a ausência de soluções visando preparar a região para outros temporais, não ficaram sem resposta por parte de lideranças políticas e representantes da sociedade civil.  “Para quem não sabe na época da tragédia da Região Serrana, em 2011, o vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) também acumulava a Secretaria Estadual de Obras. Um dos questionamentos que Pezão terá que responder é por que o Governo do Estado tendo uma Secretaria de Habitação, na época ocupada pelo deputado Leonardo Picciani (PMDB), a verba para a construção de casas foi passada para a Secretaria de Obras, que fez uma série de contratos irregulares, de acordo com o TCE, ignorando completamente a legislação e os prazos. Só uma coisa é certa: até hoje nenhuma casa foi construída”, denuncia o deputado federal Anthony Garotinho (PR).
  Enquanto o governador Sérgio Cabral se distancia dos problemas em viagens. O vice-governador e secretários estaduais do Rio, por terem se envolvido diretamente em ações durante as tragédias na serra, já respondem a 120 ações judiciais, muitas com acusações de omissão.
  Sobre as cobranças do TCE-RJ, a Secretaria Estadual de Obras informou que não recebeu os questionamentos do TCE-RJ. Sobre as obras e serviços contratados por meio de dispensa de licitação, o órgão alegou que todas tinham como objetivo salvar vidas. E que o não cumprimento do prazo de 180 dias para a execução das obras foi chancelado pelo próprio tribunal. Disse ainda que só com o desenvolvimento dos serviços e a prospecção das áreas detectou-se que a extensão do acidente foi maior do que a considerada inicialmente. E que, por isso, foram necessárias novas contratações.
  Em meio ao drama dos desabrigados e os que perderam seus entes queridos, já houve também uma disputa para saber quem fica com o espólio da tragédia na comédia de erros. Em 2011, Pezão e o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, trocaram farpas. O vice-governador e o então secretário de Obras, Hudson Braga, chegaram a afirmar que as 73 pontes que deveriam ter sido reconstruídas na Região Serrana não foram feitas devido a obstáculos impostos pelo Instituto Estadual do Ambiente. Minc rebateu as acusações, afirmando que os projetos apresentados pelo governo do Estado continham erros e por isso pediu que o trabalho fosse revisto antes da execução das obras.
  Pezão se desculpa e culpa a burocracia e a legislação federal sobre obras de emergência, considerada por ele como entrave para o andamento de obras de recuperação na Região Serrana.
  Ele também revelou nas enchentes de 2010 que o estado contou com a ajuda financeira do Governo Federal, de R$ 1 bilhão para a reconstrução das cidades serranas, mas que as dificuldades para a reconstrução é muito grande. Pezão admitiu que os recursos que a presidente Dilma mandou, até agora, são suficientes e que o Estado ainda não conseguiu gastar tudo, pois, segundo ele, está amarrado à legislação.


CHUVA É "BENÇÃO" ? ? ?

  A inércia administrativa do governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), que deixou de adotar medidas urgentes, após a tragédia que em janeiro de 2011 soterrou e matou mais de 900 pessoas na Região Serrana Fluminense e feriu outras centenas, a fim de evitar novos acidentes, foi questionada pelo deputado federal e ex-governador Anthony Garotinho (PR), no plenário da Câmara.
  O parlamentar ponderou que a tragédia ocorrida, que matou mais de 30 pessoas e feriu dezenas, em Petrópolis, poderia ter sido evitada, caso o Governo do Estado lançasse mão de recursos da ordem de R$ 128 milhões, disponibilizados pelo Governo Federal. No entanto, foi utilizado 1,9% deste valor, que corresponde a R$ 2,2 milhões, gastos com a compra de medicamentos básicos. Em 2011, a previsão era de investimentos da ordem de R$ 209 milhões.
  Garotinho argumentou que, caso os recursos do Governo Federal colocados à disposição do Governo do Estrado fossem aplicados na construção de muros de arrimo nas encostas, bem como se fossem construídos conjuntos habitacionais em locais seguros para abrigar as famílias carentes que residem em áreas de risco, certamente que não teriam ocorridas mais mortes nos locais, porque foram demarcados pela Defesa Civil do Estado como impróprias para moradia.
  Por conta das chuvas que caíram em janeiro de 2011 na Região Serrana do Rio de Janeiro, que deixaram mais de 900 mortos e centenas de feridos, o Governo Federal liberou R$ 540 milhões para investimento em obras de recuperação dos rios da região.
  Na Região Serrana serão 27 quilômetros de rios dragados e 1.620 famílias realocadas até dezembro de 2015. Até o momento, 420 famílias foram retiradas e apenas quatro quilômetros de dragagens e canalizações foram feitas.

 

quinta-feira, 28 de março de 2013

SERÁ QUE NINGUÉM ESTÁ VENDO ?


  Para inicio de conversa, atualmente não tem mais nenhuma escolinha de futebol de campo em Praça João Pessoa, isso mesmo, nenhuma em que garotos possam desenvolver o esporte para termos pelo menos esperança de um futuro melhor. E não é por falta de espaço hoje a Associação de Moradores tem uma área onde está localizado o Campo de futebol do Amprajope. 

  Porém, o futebol de campo tem tradição, tem história, tem craques que não suportam ver a atual situação.Pois daqui já saiu Pachola, Puleca e Wandir, e por sinais são atletas profissionais.

  Outra situação lamentável é o estado deplorável que se encontra o estádio de futebol.

Segundo à população o campo do AMPRAJOPE pede socorro, um verdadeiro caos.













ENROLADO COM A JUSTIÇA ?


  O deputado federal Anthony Garotinho, líder do PR na Câmara, foi denunciado em fevereiro pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ao Supremo Tribunal Federal (STF) por praticar calúnia em seu blog, ao atacar um juiz que o condenou por formação de quadrilha em 2010. As informações são do jornal “Valor Econômico”.

  Agora, o Supremo decidirá se transforma ou não o caso em ação penal, já que Garotinho tem foro privilegiado. De acordo com a denúncia, Garotinho publicou textos na internet para denegrir a honra do juiz federal Marcelo Leonardo Tavares. O magistrado do Rio condenou o ex-governador a dois anos e seis meses de prisão, convertidos em prestação de serviços à comunidade, por crime de formação de quadrilha, no processo decorrente da Operação Segurança Pública S/A da Polícia Federal.

quarta-feira, 27 de março de 2013

SAI OU NÃO ? ? ?

 

                                                                                                                                                                                                                    O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou na quinta-feira (21) que espera uma decisão do PSC sobre a renúncia do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) da presidência da Comissão de Direitos Humanos, no máximo, até ontem terça (26). Nesta quarta, após mais uma sessão conturbada do colegiado das minorias, o peemedebista fez um apelo à liderança do PSC para que Feliciano deixe o comando da comissão.

“Posso assegurar que essa Casa vai encontrar uma decisão a curtíssimo prazo. A comissão de Direitos Humanos, pela sua importância, não pode ficar nesse impasse. Eu espero até, no máximo, terça-feira,(no caso ontem), uma decisão. Agora, passou a ser também responsabilidade do presidente da Câmara dos Deputados”, ressaltou o potiguar, ao final de um evento, no Legislativo, em homenagem ao Dia Internacional da Síndrome de Down.

  Feliciano é pressionado para renunciar por movimentos sociais e por parlamentares. O deputado é alvo de protestos pelo país em razão de declarações consideradas homofóbicas e racistas, o que ele nega. Feliciano responde a dois processos no Supremo Tribunal Federal, por discriminação e estelionato.
 

segunda-feira, 25 de março de 2013

COMPLEXO, NÃO É ? ? ?

O ministro Marcelo Crivella (Pesca) afirmou sexta-feira (22) que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula ajudam os pobres porque eles “dão mais dízimo”. Crivella é bispo licenciado da Igreja Universal e falava para mais de 3 mil pastores no momento da declaração. "A nossa presidenta e o presidente Lula fizeram a gente crescer porque apoiaram os pobres. E o que nos sustenta são dízimos e ofertas de pessoas simples e humildes", disse. "Com a presidenta Dilma, os juros baixaram. Quem paga juros é pobre. Com menos juros, mais dízimo e mais oferta”, completou. Dízimo é o pagamento mensal feito por fiéis para sustentar as atividades das igrejas.

NOVAMENTE AS GRANDES NEGOCIAÇÕES !


O líder do PR na Câmara de Deputados, Anthony Garotinho (RJ), informou hoje que o encontro entre os integrantes da cúpula do partido e a presidente Dilma Rousseff para tratar sobre a reforma ministerial está previsto para ocorrer na próxima terça-feira.
A data foi marcada, segundo o deputado, após o presidente do partido, senador Alfredo Nascimento (AM), se encontrar com Dilma hoje no Palácio do Planalto.
O senador teria tratado apenas de questões do Estado do Amazonas. Também participou da reunião, o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM).
O PR ficou de fora das mudanças feitas por Dilma na semana passada. Foram feitas trocas em três ministérios: Moreira Franco (PMDB-RJ) deixou a Secretaria de Assuntos Estratégicos para assumir a Secretaria de Aviação Civil; Antônio Andrade (PMDB-MG) foi para Agricultura; e Manoel Dias (PDT) para o Trabalho.
Atualmente, o PR trabalha com a possibilidade de ter um nome da legenda colocado no lugar do atual ministro Paulo Sérgio Passos (Transportes), considerado da cota pessoal de Dilma.
Outra hipótese é uma indicação para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
images (2)
O líder do PR na Câmara de Deputados, Anthony Garotinho, informou que o encontro entre os integrantes da cúpula do partido e a presidente Dilma Rousseff para tratar sobre a reforma ministerial está previsto para ocorrer na próxima terça-feira.
A data foi marcada, segundo o deputado, após o presidente do partido, senador Alfredo Nascimento (AM), se encontrar com Dilma nesta quinta-feira, no Palácio do Planalto.
O PR trabalha com a possibilidade de ter um nome da legenda colocado no lugar do atual ministro Paulo Sérgio Passos (Transportes), considerado da cota pessoal de Dilma.
Outra hipótese é uma indicação para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

sábado, 23 de março de 2013

QUEM TEM RAZÃO OU QUEM ESTÁ DIZENDO À VERDADE ?

por David de Gregório Neto


As declarações de Xuxa Meneguel sobre a eleição do deputado federal, Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), para o cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, vão parar na justiça.
  Após duras críticas da apresentadora através de sua fanpage no Facebook o parlamentar prepara uma interpelação judicial contra ela. Feliciano disse através de sua conta no Twitter que sua assessoria jurídica estaria preparando um processo.
“Já estou com um dossiê pra entregar a polícia federal com dezenas de páginas impressas com ameaças de morte. Me ajudem em oração! E sobre o que disse Xuxa, minha assessoria jurídica prepara o processo. Durmam em paz”, comentou Feliciano.
  Ironicamente semana passada o pastor Marco utilizou seu programa na CNT para desmistificar os boatos recorrentes sobre a apresentadora.

Xuxa usou seu Facebook para chamar Feliciano de “monstro”. Além disso, a apresentadora afirmou que o deputado teria dito que “negros, aidéticos e homossexuais não tem alma”.

SERÁ ? ? ?

 


Os nomes dos vereadores Jorge Magal e Abdu Neme, ambos do PR, surge nas especulações para serem secretários municipais após a mudança no organograma do governo Rosinha. O vereador Magal pode assumir a secretaria de Família e Assistência, ou se manter na Câmara e indicar o futuro secretário (a). Já o vereador Abu Neme que estava cotado para a secretaria de Saúde, pode ir para outra secretaria ainda não definida. 

PARTIDOS;CANDIDATOS X JUSTIÇA !

MontagemGLOBO

  A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio informou  que moveu representações por propaganda antecipada contra o senador Lindbergh Farias (PT), o deputado federal Anthony Garotinho (PR) e seus respectivos partidos.
  O Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) julgará os pedidos de multa entre R$ 5 mil e R$ 25 mil aos políticos e pela perda de um tempo cinco vezes maior ao das inserções recém-veiculadas pelos partidos.
 

 

DESPUTA "DURA" !


  O nome do ex-governador Anthony Garotinho (PR) é destaque em primeiro lugar numa pesquisa de intenções de votos para a sucessão do governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB). O trabalho foi feito pelo Instituto Ulrich Pesquisa e Marketing, a pedido de empresários de diversos segmentos, publicado pelo Portal de Notícias 247, primeiro jornal digital do Brasil criado com plataforma específica para mídias eletrônicas como ipad, smartphones, tablets e laptops e, por isso, é um dos sites mais acessados do Brasil.
  De acordo com levantamento do Instituto Ulrich (realizado nos dias 9 e 10 de março, sendo ouvidas 2011 pessoas), o ex-governador Garotinho sai na frente na corrida para o Palácio Guanabara com 28% do eleitorado, num quadro em que o senador Lindbergh Farias (PT) figura em segundo lugar da preferência do eleitorado fluminense com 20%. O atual vice-governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), aparece em terceiro lugar com 12%.
  Na simulação apresentada aos eleitores entrevistados, com a inclusão do nome do ministro da Pesca e Agricultura, Marcelo Crivella (PRB), Garotinho mantém a dianteira, o vice-governador Pezão, que é o indicado pelo governador Sérgio Cabral, fica no quarto lugar, atrás respectivamente de Garotinho, Lindbergh e Crivella.
  A avaliação diz também que Pezão “passou a mensagem, ainda, de que nem seu próprio partido o conhece, do contrário por que tanto destaque a uma pergunta? De todo modo, o partido teve suas inserções cassadas pela Justiça Eleitoral do Rio, sob a acusação de terem antecipado a campanha eleitoral. Antes, Pezão esteve no centro de uma carta do PMDB com ameaças veladas à possível candidatura do senador Lindbergh Farias”.
Garotinho (PR)………28%%
Lindbergh (PT)………….22%
Pezão (PMDB) …………13%
Brancos/Nulos …………18%
Indecisos …………………18%
(Na simulação incluindo o nome de Crivella)
Garotinho (PR)………26%%
Lindbergh (PT) ………..20%
Crivella (PRB)……………15%
Pezão (PMDB)…………..12%
Brancos/Nulos………….14%
Indecisos…………………..13%

quinta-feira, 21 de março de 2013

DENÚNCIA!

 

  A Seção de Comunicação Social do 8º Batalhão da Polícia Militar (8º BPM) informou  que policiais militares da 3ª Cia (SFI) do 8° BPM estouraram no dia (14/03/2013) uma fábrica clandestina de munição em Praça João Pessoa, distrito de São Francisco de Itabapoana. No total, foram apreendidas uma máquina de recarregar cartuchos, 210 munições de calibre 12, 3 mil cartuchos deflagrados, 2 mil buchas para recarga de calibre 12, 2 caixas de espoleta com 100 unidades cada e um tubo de pólvora de 100 gramas. A ocorrência foi registrada na 147ª Delegacia de Polícia.

segunda-feira, 18 de março de 2013

QUE "DOR DE CABEÇA", NÃO ?


   Neco estaria "bisbilhotando" os processos do governo de Carla Machado. Carla perdeu o sono porque soube que Neco não estava disposto a chancelar alguns problemas que devem ser objeto de providencias pelo atual governo. 

  Carla não imaginava que Neco fosse ter essa recaída tão cedo. Mas também é verdade que tempos atrás ela teria deixado Neco a beira da estrada. A prova disso é que a Folha da Manhã já não mais toca no nome de Carla como fazia quando a mesma estava no poder. 
  
  O povo de SÃO JOÃO DA BARRA espera essa "feijoada" para saber quem realmente vai fazer o uso do "banheiro" mais cedo.

DESPUTA DE "GENTE GRANDE" !


  Feito pelo Instituto Ulrich Pesquisa e Marketing, a pedido de empresários, levantamento fechado no Estado do Rio coloca ex-governador Anthony Garotinho (PR) em primeiro lugar; senador Lindbergh Faria (PT) aperece em segundo; vice-govenador Luiz Fernando Pezão (PMDB) surge em quarto na hipótese que inclui senador Marcelo Crivela (PRB); para presidente, Dilma ou Lula ganham no Estado com mais que o dobro dos adversários.

sexta-feira, 15 de março de 2013

ANALFABETOS OU DESORIENTADOS ? ? ?

   Os políticos e autoridades de SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA estão fazendo movimentos por CAMPOS, esquecendo que SFI é município não produtor e teria um aumento substancial de arrecadação com a nova divisão dos royalties. Hoje recebe 500.000, receberia 6x mais; eles não querem, querem APLAUDIR Campos. "Viva" os vereadores e secretários de SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA.
  Os caras estão contra o próprio lugar onde foram eleitos e DIZEM que querem trabalhar.

CARLA X NECO !

 


   A ex-Prefeita Carla Machado já não mais está reinando dentro do grupo político que ela criou. Neco estaria rompido com ela, sob o argumento de que ela, no passado, teria o deixado na beira da estrada. 

  Já no governo Neco surge uma polêmica na Secretaria de Saúde com a suspeita de desvios na ordem de 1 milhão e 700 mil reais. O presidente da Câmara Aluisio já começou a ensaiar nos bastidores a conspiração para afastar Neco do cargo de Prefeito da terra de Narcisa Amália. O governo Neco é um governo que começa acabando, diante de denuncias insatisfações , traições, incompreensões, que estão dentro do próprio grupo político que esta a frente da Prefeitura de São João da Barra. 


MOVIMENTOS NAS ÁGUAS !


 


  Duas grandes empresas prestadoras de mão de obra especializada, deixaram o projeto do Porto do Açu e inúmeros funcionários foram demitidos. A falta do corredor logístico e a desistência dos chineses e de outros parceiros "virtuais" do empresário, estão sendo fonte de crise do projeto do Porto. 

  É uma pena que um projeto como o do Super Porto do Açu comece a enfrentar problemas de toda a natureza. Aquele ditado de que "que tem olho grande não entra na China", colou em Eike. Foram os chineses que puxaram seu tapete. O negócio da China para o Porto do Açu é conversa fiada. No passado não muito recente o empresário Eike Batista foi colecionador de fracassos empresarias. Como ele paga bem a mídia essa só conta vitórias do empresário. O termômetro de tudo isso é a bolsa de valores e lá a coisa anda preta para Eike. 

 Depois de muitas conversas, muitos projetos, é provável que nem o Porto consiga ser concluído. E se concluído inviável diante da ausência do corredor logístico. A cada dia que passa a tinta da caneta de Cabral vai ficando mais fraca e os desentendimentos de Cabral com o Palácio do planalto diante da candidatura de Pezão é a indicação de dificuldades ainda maiores para o empresário, que segundo fontes, já teria vendido tudo de seu negócio.  Eike conta com o projeto de alugar as terras que tomou através do estado dos produtores rurais do 5º Distrito. 


terça-feira, 12 de março de 2013

BOMBA DE ÚLTIMA HORA, TEM QUE SER SFI MESMO !



   Tininho vai para a secretaria de planejamento e Zé Cherene assume cadeira. Uma mudança muito comentada e aguardada nas últimas semanas na política de São Francisco de Itabapoana se efetivou nesta terça-feira (12). O vereador Florentino Cerqueira de Azevedo, o Tininho (DEM), se licenciou da Câmara para assumir a Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento. A pasta estava sendo conduzida de forma interina, sem um nome escolhido como definitivo pelo prefeito Pedrinho Cherene.

    No lugar de Tininho, tomou posse na Sessão da Câmara desta terça o primeiro suplente José Jorge Cherene, o Zé Cherene. Zé Cherene, que é tio do prefeito, já foi vereador por dois mandatos, entre 2001 e 2008. Na eleição de 2012 ele obteve 463 votos.
  A secretaria de Planejamento e Desenvolvimento tem um papel vital dentro de uma administração municipal. Sobretudo no momento em que os municípios brasileiros vivem uma necessidade grande de recursos estaduais e federais, cabendo ao Planejamento a criação de projetos para apresentá-los ao Estado e à União.
Há muitos recursos em Brasília, mas sem projetos que atendam às necessidades da população, esses recursos não chegam. As obras e programas com verbas estaduais e federais são oriundos dos convênios firmados com os municípios, mas antes dos convênios são precisos bons projetos. Todavia não é só isso; para que nasça esses convênios é preciso muita articulação política. E como 2014 é ano de eleição, é esperada uma enxurrada de recursos para os municípios, sem falar nas emendas parlamentares para os municípios, destinação que deputados estaduais, federais e senadores incluem nos orçamentos do Executivo.
 "Os cachorros são os mesmos, o que mudaram foram as coleras", diz o blog CONDENADO A FALAR.
 

segunda-feira, 11 de março de 2013

NADA ESTÁ FLUINDO !

   Após o Congresso ter derrubado o veto da presidente Dilma Rousseff, que impedia a redistribuição dos royalties para contratos em vigor, municípios do Rio já suspenderam pelo menos R$ 1,8 bilhão em obras de infraestrutura, como contenção de encostas e saneamento básico, além de novas escolas e hospitais, que estavam programados desde o ano passado. O adiamento dos projetos é a primeira medida diante da ameaça de drástica redução das receitas oriundas do petróleo.

  Mas os cortes não atingem só as cidades. O governo do Estado do Rio suspendeu  todos os pagamentos, mantendo apenas os salários dos servidores e transferências a municípios. Até o fim do mês, estavam previstos R$ 470 milhões em vencimentos. O governo afirmou ainda que podem ser atingidos programas como Arco Metropolitano, Bilhete Único, obras de saneamento, contenção de encostas e recuperação de áreas de risco. O Espírito Santo planeja ainda cortar R$ 200 milhões em despesas.

QUEM SERÁ O VERDADEIRO(a) CULPADO(a) ? ? ?

   A presidente Dilma está irritada com a tática de confronto do governador Sérgio Cabral. Avalia que essa foi uma das causas da derrota e ficou decepcionada com a acusação de que “lavou as mãos”. Diz que sempre esteve com o Rio. Acha que a estratégia tem de mudar no STF. Além disso, Cabral, 14 anos após o ex-governador Itamar Franco (MG) declarar moratória, foi na mesma linha e anunciou a suspensão dos pagamentos. A presidente Dilma culpa Sérgio Cabral  pela DERROTA dos royalties.

TUDO POR CAUSA DOS ROYALTIES, OU NÃO ?


   O governador Sérgio Cabral divulgou nota, suspendendo todos os pagamentos do Governo do Estado, com exceção ao pagamento dos servidores públicos.

  Os secretários de Estado de Fazenda e de Planejamento foram orientados pelo governador a cancelar os pagamentos, empenhos, repasses e outras transferências.

"SEM ROYALTIES, SEM PETRÓLEO".


   Esse foi o grito de ordem na mobilização de representantes de municípios produtores da região, na sede da Prefeitura de Campos. Presidente da Organização dos Municípios Produtores de Petróleo (Ompetro), Rosinha dispensou os manifestantes, mas antes fez um apelo aos petroleiros, para que parem a produção por um dia, com o objetivo de pressionar o governo federal. “Isso é apenas um aquecimento”, afirmou a prefeita de Campos.

 

sexta-feira, 8 de março de 2013

JUSTIÇA OU INJUSTIÇA ?

  O novo presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP), é alvo de uma ação penal e dois inquéritos no STF (Supremo Tribunal Federal).

  Na ação penal, ele é acusado de estelionato por ter recebido R$ 13,3 mil para realizar dois cultos religiosos no Rio Grande do Sul, mas não comparecer aos eventos.

  Um inquérito é por preconceito e discriminação por uma fala supostamente homofóbica em uma rede social e no outro é acusado de injúria, em um caso pessoal.

  Feliciano foi confirmado no comando da comissão. O deputado é criticado por entidades ligadas aos direitos humanos por acusações supostamente racistas e homofóbicas. Ele, porém, diz ter sido mal interpretado.

  O PASTOR MARCO FELICIANO  ELEITO PARA COMISSÃO É ALVO DE AÇÃO NO STF POR ESTELIONATO E HOMOFOBIA.


POLÊMICA !


Deputados do Rio protestam no plenário enquanto Garotinho discutia com Renan Calheiros (Gustavo Lima - Agência Câmara)

FRAUDE NA VOTAÇÃO DOS ROYALTIES: SERÁ? Comentários que surgem aos bastidores do ROYALTIES, ninguém comprova, caso ao contrário, nos mostre aqui no blog CONDENADO A FALAR.

CABRAL SUSPENDEU  PAGAMENTOS DO RJ ATÉ DECISÃO DO STF SOBRE ROYALTIES !   Apenas pagamentos a servidores serão mantidos, diz Governo.
Estado pode perder R$ 75 bilhões até 2020 com decisão do Congresso.

Governador do Rio, Sérgio Cabral, durante evento no Centro do Rio (Foto: Divulgação / Carlos Magno)
  O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, suspendeu todos os pagamentos do estado, com exceção dos feitos aos servidores. A decisão foi divulgada em nota na tarde na quinta-feira (7). O Governo do estado afirma que a suspensão vale até ser divulgada a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a inconstitucionalidade da lei aprovada pelo Congresso, que rejeitou os vetos da presidenta Dilma Rousseff quanto à redistribuição dos royalties.

ELE TAMBÉM COMPARTILHOU !


 “Já está tudo pronto', garantiu o governador do Rio de Janeiro.
Segundo ele, recursos correspondem a 1/4 da receita líquida do estado.

  O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, garantiu na manhã da quinta-feira (7) que iria recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) da decisão do Congresso, que rejeitou os vetos da presidente Dilma Rousseff à nova Lei dos Royalties. “Nós iremos ao Supremo. A presidenta Dilma, quando vetou a lei, foi clara como água”, disse o governador, citando artigos da Constituição Federal que falam sobre a questão da quebra de contratos e sobre a disponibilização de recursos originários dos estado e municípios produtores de petróleo. 
CABRAL VAI AO STF CONTRA DERRUBADA DE VETOS DOS ROYALTIES !

quinta-feira, 7 de março de 2013

NADA SE RESOLVE, UMA PERDIÇÃO DE TEMPO TOTAL !

"As pessoas só vão entender quando houver prejuízo, afirmou Rosinha".
"Se for preciso tomar uma atitude drástica, vamos tomar", disse Alair Corrêa.
Priscilla Alves e Heitor Moreirado G1 Norte Fluminense

   Duas manifestações contra a decisão do Congresso Nacional que derrubou os vetos da presidente Dilma à nova Lei dos Royalties movimentaram, o interior do estado do Rio de Janeiro. Nas cidades de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense e em Cabo Frio, na Região dos Lagos, houve protestos.

  Nesta quarta-feira (6), o Congresso Nacional derrubou todos os vetos feitos à Nova Lei dos Royalties pela presidente Dilma Rouseff, que favoreciam os estados produtores de petróleo. Os royalties são pagos como forma de compensação por possíveis danos ambientais causados pela extração.

  Manifestantes carregam faixas contra decisão do Congresso.
  Cerca de 300 pessoas invadiram o saguão de embarque do Heliporto do Farol de São Thomé, em Campos do Goytacazes, no Norte Fluminense, em protesto à decisão do Congresso sobre a divisão dos royalties do petróleo. Os manifestantes quebraram as portas de vidro que dão acesso à pista onde ficam os helicópteros e se dispersaram pelo campo de pouso das aeronaves, impedindo a chegada e saída de voos. Durante a invasão, houve discussão entre os participantes do protesto e os seguranças do Heliporto e um homem ficou ferido. Segundo os passageiros, dois tiros foram disparados para o alto, mas ainda não se partiram dos seguranças ou se algum dos manifestantes está armado.

  Pessoas invadiram a pista de pouso da Heliporto de
Farol de São Thomé.
  Na frente da entrada do heliporto está um trio elétrico onde os organizadores do protesto se manifestam contra a decisão parlamentar. Os passageiros que chegam ao local são barrados pelos integrantes do protesto.

  A prefeita de Campos dos Goytacazes, Rosinha Garotinho esteve presente no local, em apoio ao movimento. "Após essa decisão do congresso, nós só podemos confiar no Supremo Tribunal Federal, que não vai rasgar as leis. Nós vamos lutar pelos nossos direitos˜, disse a prefeita.

  Segundo Rosinha, o objetivo é prejudicar a produção de petróleo da região para chamar a atenção para a importância do prejuízo que o município pode sofrer. "A gente acha que as pessoas só vão entender a gravidade disso quando começarmos a dar prejuízo. Nós estamos no limite", disse Rosinha.

  Cerca de 1.500 pessoas se reuniram em frente a Prefeitura de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, em uma manifestação contra a rejeição do Congresso pelos vetos de Dilma à nova Lei dos Royalties, que redistribui os tributos pagos pela produção de petróleo. Um trio elétrico foi colocado na Av. Assunção para que políticos discursem opiniões sobre a situação. Prefeitos de São Pedro da Aldeia, Arraial do Cabo, Armação dos Búzios e Cabo Frio estavam na manifestação.

   Estudantes seguravam cartazes e bexigas pretas. Algumas pessoas estavam com uma faixa preta amarrada em alguma parte do corpo. Tudo para chamar atenção e expressar a revolta pela rejeição dos vetos da presidenta.

  Os municípios e o próprio estado do Rio de Janeiro, que têm a maior produção de petróleo, só neste ano deixaria de receber R$ 3,1 bilhões, segundo levantamento realizado pelo deputado Otávio Leite (PSDB-RJ).
Dilma Rousseff à nova Lei dos Royalties do Petróleo. Vereadores, secretários municipais e o vice-prefeito participam do movimento organizado por autoridades de Campos. A Câmara de SFI divulgou comunicado em que informa o cancelamento da sessão que aconteceria na quinta-feira, em função da participação dos parlamentares sanfranciscanos nas manifestações.
  Apesar de ser injustiçado pelo fato de não receber royalties como cidade produtora de petróleo, São Francisco de Itabapoana perderá receita com a mudança, sobretudo devido ao fato de o município ainda viver a expectativa de um dia tornar-se produtor de petróleo, já que os famigerados Blocos BMC-26 e BMC-27, quando entrarem em operação, poderiam gerar receitas maiores de royalties a SFI.
A mobilização em defesa dos royalties do petróleo, realizada por pessoas que ocuparam os aeroporto de Campos e o heliporto de Farol impediu que em média 680 pessoas embarcassem para as plataformas da Bacia de Campos, na manhã e início da tarde desta quinta-feira (07/03). Cerca de 18 pessoas em cada aeronave.

  Informações extraoficiais dão conta de que 27 voos foram cancelados e 7 realizados no heliporto de Farol, já no aeroporto de Campos, foram 11 voos remarcados e 4 realizados.

   Houve confusão, vidraças e divisórias foram quebradas. Todos os voos foram suspensos. Oito aeronaves ficaram paradas pista de embarque e desembarque e pelo menos 200 manifestantes participam do ato.

  Na chegada dos manifestantes, um segurança chegou a afastar algumas pessoas apontando uma arma e disparou um tiro para cima.

  A prefeita Rosinha Garotinho está no local acompanhando a mobilização popular. Ela disse que a Presidente Dilma Rousseff pode editar uma medida provisória válida por 60 dias e prorrogada por mais 60 dias, mas que até agora não tomou nenhuma decisão.

"A região vai parar, não é só Campos, toda região e até o Espírito Santo. Só para se ter uma ideia do prejuízo para Campos sem os royalties, vou citar alguns exemplos: As bolsas universitárias, todas serão suspensas, as vacinas que hoje são fornecidas pelo município, a Prevenar, a do HPV, a da catapora, todas serão suspensas, todas as obras da cidade são executadas com os recursos dos royalties, as casas populares não poderão ser construídas, a passagem social vai acabar, a coleta de lixo fica comprometida.”, disse a prefeita.


 

quarta-feira, 6 de março de 2013

CONTINUANDO O "PROCESSO" !



     Depois de quatro horas de uma sessão conturbada, o Congresso Nacional concluiu, na madrugada desta quinta (7), a votação dos vetos da presidente Dilma Rousseff à Lei dos Royalties do Petróleo. O resultado final, entretanto, ainda é desconhecido, na medida em que os votos foram depositados em cédulas de papel nas urnas. A mesa diretora do Legislativo informou que o processo de apuração pode durar até seis horas, porque terão de ser analisados, em cada voto, 142 dispositivos, mas o resultado sairá nesta quinta-feira. No total, 61 senadores e 335 deputados votaram.

  Discussões acaloradas, discursos inflamados e uma série de tentativas de atrasar a apreciação dos vetos marcaram o embate de 4 horas no plenário da Câmara entre parlamentares de estados produtores e não produtores de petróleo.

  Com a revogação dos vetos presidenciais, a partilha dos lucros da extração de petróleo passará a incidir, inclusive, sobre os contratos de campos petrolíferos já licitados. A alteração na regra de rateio havia sido aprovada pela Câmara e pelo Senado em 2012, porém, a presidente da República vetou os dispositivos com a justificativa de que seria inconstitucional violar contratos em vigor.

  Sentado na poltrona da presidência da Câmara, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), abriu os trabalhos legislativos com a checagem do quórum. Naquele momento, o painel eletrônico da Casa registrava a presença de 70 senadores e 480 deputados.
  Diante do princípio de tumulto, Renan manteve os microfones do plenário desligados. Inconformado, o líder do PR, deputado Anthony Garotinho (RJ), subiu à bancada da Mesa Diretora e, sem que o senador alagoano percebesse, gritou “questão de ordem” no microfone da presidência.

  A iniciativa do ex-governador do Rio irritou Renan. Ele, então, advertiu que iria encerrar a sessão se houvesse tumultos. Parlamentares dos estados produtores reagiram à ameaça com gritos de ordem. Integrante da bancada fluminense, o deputado Hugo Leal (PSC-RJ) criticou a postura do presidente do Congresso. “É melhor fechar o Congresso. Arbitrário, ditador”, disparou.

  Os ânimos foram se acalmando aos poucos e Renan passou a conceder a palavra aos parlamentares que defendiam a manutenção do veto. O primeiro a se manifestar no plenário, deflagrando a tentativa de obstruir a votação, foi o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). Ele havia sido um dos congressistas, que, ao longo do dia, haviam tentado costurar um acordo com o governo federal para evitar a votação dos vetos. “Gostaríamos de saber por que, entre mais de 3 mil vetos, foram escolhidos estes para a votação de hoje”, questionou.

  Em resposta ao senador fluminense, Renan alegou que cabe ao presidente do Congresso definir a pauta da sessão conjunta da Câmara de do Senado. Na esteira da manifestação de Lindbergh, outros parlamentares de Rio e Espírito Santo passaram a se revezar nos microfones para apontar supostos vícios na organização da sessão.

  A estratégia dos estados produtores, articulada em uma reunião na tarde desta quarta, consistia em tentar prolongar pelo maior tempo possível a sessão, a ponto de que o plenário ficasse esvaziado e eles pedissem a verificação de quórum para tentar suspender a sessão. Renan, entretanto, foi inflexível, derrubando um a um os argumentos regimentais dos parlamentares.
  Autor da ação judicial que impediu a votação dos vetos no ano passado, o deputado Alessandro Molon criticou duramente a regra imposta pelo senador de Alagoas.
Resultado da votação, contudo, será conhecido somente nesta quinta (7).
Parlamentares de estados produtores advertem que irão recorrer à Justiça.


terça-feira, 5 de março de 2013

NEGOCIAÇÕES NOS ROYALTIES !


   O Congresso Nacional deve votar, o veto da presidente Dilma Rousseff que defende a manutenção dos contratos de royalties já existentes para os estados produtores de petróleo. Para tentar garantir que o veto seja mantido, uma comitiva formada pelo prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, e um grupo de vereadores da cidade seguiu esta madrugada para a capital do país com o objetivo de acompanhar a votação e pressionar o Congresso a não mudar as regras.
“Manter o veto da presidente Dilma para os contratos já licitados é um ato de Justiça que o Congresso deve ter com os estados produtores de petróleo. Os royalties são a compensação financeira aos possíveis danos ambientais que podem ser causados pela exploração do petróleo, e só quem corre esse risco são os estados produtores. Esses dias, mesmo, tivemos a notícia de um vazamento no campo de Marlim, na Bacia de Campos. Fala-se em cerca de 200 litros de óleo espalhados no mar. Quem é que vai arcar com esse prejuízo? O estado produtor ou aquele que não produz e não corre riscos?”, questiona o vereador cabo-friense Emanoel Fernandes (PSC), que também seguiu para Brasília e, por isso, não estaria  presente na sessão na Câmara Municipal de Cabo Frio.
   Até a última quinta-feira, a votação das novas regras dos royalties estava prevista para acontecer em abril ou maio. Caso o veto seja derrubado, os governadores dos estados produtores devem recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), já que a mudança nas regras do jogo causarão grande prejuízo aos cofres públicos. Somente o estado do Rio de Janeiro deve perder R$ 2,39 bilhões/ano, e os municípios mais R$ 2,423 bilhões.
  Ao todo, na sessão de ontem (05 de março de 2013),  o Congresso deve analisar 140 dispositivos vetados pela presidente Dilma, todos referentes ao projeto de partilha dos royalties. Os parlamentares farão a votação em cédulas de papel. A previsão é de que o resultado seja conhecido até amanhã. Prefeitos e vereadores foram á Brasília para essa negociação.

segunda-feira, 4 de março de 2013

SÓ PROMESSAS !

  O governo atual de SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA  prometeu aos estudantes universitário, que haveria um ônibus EXCLUSIVO para A PEDRA, ou seja, para os estudantes que moram em SFI centro, a promessa foi feita para ser cumprida no dia 04/03/2013, no caso ontem, por sinal o ônibus não compareceu, mas como todos sabem que em ALGUNS POLÍTICOS NÃO SE CONFIA, todos estudantes entraram em suas rotas normal e ninguém ficou ESPERANÇOSO e muito menos CONFIANTE.
  A promessa foi feita e não foi comprida, mas uma coisa que nesta gestão que não está sendo cumprida, possa que, com essa denúncia, tomam vergonha na cara e principalmente conduzam  um governo com verdades e onestidade, os estudantes universitário tem o APOIO TOTAL DO BLOG CONDENADO A FALAR, em qualquer coisa e em qualquer situação, por que aqui não refrescamos ninguém e nada, ( "QUEM REFRESCA A BUNDA DE PATO É LAGOA!", está dado o aviso, e aqui não temos medo de "poderoso" não, aqui a verdade é nua e crua.

SUBINDO !

    O deputado estadual Geraldo Pudim (PR)  assume a cadeira de membro titular da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj). O parlamentar assume com a missão de avaliar e dar pareceres de ordem constitucional na Casa Legislativa. Em seu mandado de deputado, logo no primeiro ano, Pudim foi indicado para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. O parlamentar foi membro efetivo da Comissão durante os quatro anos de mandato. Ele relatou mais de 200 projetos e trabalhou em mais de 500 proposições.Ainda na Câmara Federal integrou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das “Crianças e Adolescentes Desaparecidos”. “A CCJ tem por finalidade examinar as matérias do ponto de vista constitucional, na sua juridicidade e técnica legislativa. Às vezes, no calor da discussão política, com cada qual defendendo seu ponto de vista, nem sempre esses aspectos são levados em conta e acaba-se por discutir o mérito do projeto, o que ele representa para a sociedade”, explicou.
   Segundo Geraldo Pudim, o processo de tramitação de projetos na Comissão da Alerj é diferente do procedimento adotado na Câmara dos Deputados. “Mas entendo que posso e vou ajudar a Casa na CCJ devido à minha experiência de quatro anos como membro da CCJC na Câmara dos Deputados”, acrescentou. A indicação de membros das comissãoes na Alerj se dá pela proporcionalidade partidária. Dentro desse critério, cabia à deputada estadual Clarissa Garotinho (PR) indicar um representante do partido, e a escolha recaiu sobre Pudim.

sexta-feira, 1 de março de 2013

TEM QUE ESTAR COM AS MÃOS NO "ARADO" !

  A elaboração da nova Lei Orgânica do Município de Campos, atendendo a uma sugestão da prefeita Rosinha Garotinho (PR), deve contar com a participação de toda a sociedade, de maneira transparente e participativa, até o dia 4 abril. A informação é do presidente da Comissão de Legislação Participativa da Câmara Municipal, vereador Mauro Silva (PT do B), que também integra o Grupo de Trabalho de Elaboração da Nova Lei Orgânica, ao lado do vereador Jorge Rangel (PSB) – presidente – e dos demais membros: vereadores Albertinho (PP), Fabio Ribeiro (PR) e Paulo Hirano (PR).
  A sociedade poderá participar de três maneiras: através de apresentação de proposta diretamente à Comissão de Justiça e Redação da Câmara; através do e-mail novaleiorganica@camparacampos.rj.gov.br ou, ainda, através de Audiência Pública a ser realizada no Plenário do Legislativo, no dia 4 de abril, com inscrições prévias até 48 horas antes, no mesmo e-mail.
  Mauro Silva destaca que o desafio da Câmara com a participação de toda a sociedade é aprovar uma nova lei orgânica moderna, que contemple o novo perfil do município e seus avanços nos próximos anos, marcada pelo desenvolvimento participativo e autossustentável com geração de renda e empregos e melhor qualidade de vida.
  Na primeira reunião do Grupo, na Câmara, foram definidas também instituições classistas e institucionais que serão estimuladas a participar mais ativamente  na apresentação de propostas, representando os setores do comércio, educação, indústria, prestadores de serviços, saúde, segurança, clubes de serviços, sindicatos de empregadores e de trabalhadores e os conselhos municipais.

Mauro Silva defende nova lei orgânica !

EMPESÍLIO OU PEDRA DE TROPEÇO ?

  Ao mesmo tempo em que Dilma se aproxima do PMDB, ela esbarrará, porém, no impasse criado pelo presidente nacional do PSB, Eduardo Campos. Ele vem demonstrando interesse em compor chapa presidencial em 2014, o que exigirá da presidente jogo de cintura para lidar com os dois partidos aliados. O PSB quer a indicação da vaga de vice, hoje ocupada pelo PMDB. Caso contrário, Campos já cogita sair candidato em outra coligação.
  O governador faz uma crítica aberta à manutenção da chapa presidencial PT-PMDB. “Há um grande risco para quem monta coalização para governar quando a aliança política não corresponde à aliança social feita para ganhar a eleição. Acho que a expressão que o PMDB começa a tomar nessa aliança é muito maior do que o que o PMDB representa na sociedade brasileira. E isso um dia é resolvido, ou pelos políticos ou pelo povo”, opina.

Eduardo pode atrapalhar aliança !